Matou pouco, taoquei!

O momento mais esperado do dia chegou para o estrumessíssimo presidente, Jair Bolsonaro, o ponto alto do evento em celebração à morte e à tortura de centenas de brasileiros durante 21 anos, os 57 anos do famigerado golpe militar de 1964. Não, não foi quando chegaram os brigadeiros à sua festa de arromba, pfiu, pfiu.

Certa vez, Bolsonaro declarou que “…na ditadura, deviam ter fuzilado uns 30 mil…”, motivo pelo qual o mandatário da república dos golpistas está exultante. Eis que sem puxar um gatilho, sem apertar um pescoço sequer, sem choques elétricos, sem pau de arara, sem cadeira do dragão, tubaína e toda sorte de métodos e mecanismos usados para a tortura dos inimigos da ordem e do progresso, Bolsonaro, com a ajuda direta de seus fiéis eleitores cidadãos de bem – muitos deles os ditos arrependidos que farão tudo de novo na primeira oportunidade – e indireta dos isentões – a liberália limpinha cheirosa –, assassinou em 1 ano e 19 dias, 321.515 pessoas, 3.869 delas nas últimas 24 horas, todas vítimas de seu negacionismo oportunista, seu viralatismo patológico, seu fascismo congênito, seu débil fundamentalismo cristão, amém.

Bolsonaro realiza o sonho de infância de ser ditador, graças aos serviços prestados ao golpe encomendado pelas elites eugenistas seculares, pelo mercado financeiro e pelo imperialismo norte-americano, esse defensor da liberdade de culto ao fascismo travestido de herói, com supremo, com tudo.



Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto:
close-alt close collapse comment ellipsis expand gallery heart lock menu next pinned previous reply search share star